Consumidores esperam que lojas físicas se tornem smart stores

Buscar

Marketing

Publicidade

Consumidores esperam que lojas físicas se tornem smart stores

Pesquisa da MindMiners avalia impacto da pandemia na relação de consumidores com varejo e no comportamento de compra dos brasileiros


15 de outubro de 2021 - 17h58

A MindMiners realizou uma pesquisa com duas mil pessoas com o intuito de analisar como a nova realidade de pandemia afetou o modo de consumir dos brasileiros. O estudo avaliou principalmente o impacto no mercado de varejo.

Um dos resultados apontados foi a crescente da aderência ao universo digital, tendo 73% das pessoas afirmado que compraram mais online durante a pandemia. Dessas pessoas, 92% pretendem continuar com esse hábito. Além disso, 50% disseram que as lojas físicas mudarão com o fim da pandemia, se tornando “smart stores”, abrangendo o digital e o presencial.

Os principais motivos apontados pela pesquisa para justificar a aderência ao mundo digital das compras foi que o ambiente digital é prático para comprar por não ter que sair de casa (70%), além de ter a chance de comparar preços instantaneamente em várias lojas. Porém, o ponto de atenção de desistência de 48% dos participantes foi o frete. Ele também foi mencionado quando perguntados sobre as piores características das lojas online (68%), ganhando de características como não poder ver o produto ao vivo (63%), dado como a melhor característica das lojas físicas.

Segundo 77% da amostra, seu acesso nas lojas online foi motivado pela busca por um preço melhor, seguido do prazo de entrega, com 57%, e a maior disponibilidade de produtos, com 54%. A pesquisa foi realizada com duas mil pessoas, com idade a partir de 18 anos, em todas as regiões do Brasil, tendo a maioria (52%) de respostas de mulheres, feita através do aplicativo MeSeems.

Houve uma crescente na escolha pela compra online por causa da pandemia (Créditos: Ivan Kruk/Shutterstock)

Preferência na rede

iFood, Extra e Americanas, no setor de alimentos e bebidas; Renner, C&A e Netshoes, em roupas e calçados; Boticário, Avon e Natura, na categoria de cosméticos; e Americanas, Amazon, Magalu e Casas Bahias, em eletrônicos, foram as marcas campeãs de preferência dos entrevistados. Nos itens de farmácia, Drogasil, Pague Menos e Drogaria Raia foram as mais mencionadas, e no mercado pet, Petz, Cobasi e Petlove.

A Americanas e Amazon também apareceram como lojas online mais visitadas, sendo que a primeira empatou com o Mercado Livre, com 48% das respostas, enquanto a gigante americana teve 33%, superando a Magazine Luiza, que teve 32% das menções

Publicidade

Compartilhe