Abril consegue acordo com credores

Buscar

Mídia

Publicidade

Abril consegue acordo com credores

Bradesco, Itaú e Santander aceitaram pagamento à vista de 8% de dívida de R$ 1,1 bilhão


20 de fevereiro de 2019 - 10h27

O Bradesco foi o último credor a aceitar negociar a dívida da Abril com a Enforce, fundo ligado ao BTG que tem trabalhado junto à Cavalry Investimentos, de Fábio Carvalho, que adquiriu os ativos da empresa em dezembro. Como o banco detinha a maior parcela dos débitos de R$ 1,6 bilhão, foi a negociação mais trabalhosa — os outros investidores de volume, Santander e Itaú, também aceitaram as condições.

Dessa forma, a Enforce pagará aos bancos, à vista, 8% sobre R$ 1,1 bilhão. Inicialmente, a proposta de recuperação judicial falava em três anos de carência e o restante em parcelas mensais por 15 anos. 

A maior parte do restante da dívida é trabalhista, cerca de R$ 90 milhões, que a Abril propôs quitar até o limite de 250 salários mínimos por pessoa (cerca de R$ 238,5 mil), ao longo de 12 meses após a aprovação do plano de recuperação. Essa oferta está sendo contestada na Justiça por meio de uma ação trabalhista de ex-funcionários e tem sido fruto de debate entre representantes dos demitidos e executivos da Abril.

Na semana passada, reportagem da Folha de S.Paulo havia colocado dúvidas sobre o progresso da negociação, pois os bancos estariam considerando o desconto muito alto. Agora, com um acordo sobre a proposta, o conselho de credores deve se reunir nas próximas semanas para encaminhar a negociação.

 

Crédito da imagem do topo: slavemotion/iStock

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • Itaú

  • Bradesco

  • Abril

  • santander

  • Fábio Carvalho

  • BTG

  • Enforce

  • Cavalry

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”