A influência da tecnologia na indústria fonográfica

Buscar

Opinião

Publicidade

A influência da tecnologia na indústria fonográfica

O smartphone e as redes sociais atuam como peças-chave na propagação de novas músicas e projetos


15 de dezembro de 2020 - 19h01

(crédito: Andrea Piacquadio/Pexels)

Em constante transformação, a indústria fonográfica tem no avanço tecnológico um de seus principais pilares para a popularização de artistas e ampliação de fontes de receita, investindo em novos formatos de plataformas de distribuição. Neste contexto, o smartphone e as redes sociais atuam como peças-chave na propagação de novas músicas e projetos. E, cada vez mais, o smartphone e as redes sociais não só influenciam a maneira como as pessoas consomem música, mas também no modo que os singles são produzidos.

Para analisarmos o momento atual, é necessário relembrar algumas etapas que ocorreram nos últimos 15 anos. Após o surgimento e consolidação do YouTube, a indústria fonográfica deixou de idealizar os clipes musicais para canais televisivos e passou a projetar as obras audiovisuais de acordo com o público e linguagem da plataforma online de vídeos. Depois, presenciamos a massificação do uso do Facebook e, posteriormente, do Instagram, redes sociais que possibilitaram maior aproximação dos artistas com os fãs e auxiliaram na divulgação de músicas e agenda de shows.

Recentemente, a conexão entre a indústria fonográfica e as redes sociais ganhou um novo capítulo, com o TikTok alcançando crescimento exponencial no Brasil. Com formato dinâmico, com vídeos que variam entre 15 e 60 segundos, a plataforma segue a premissa de impactar um usuário individualmente, e que, a partir deste ponto, este usuário impacte sua rede de seguidores, criando um fluxo de grande alcance. Para isso, os membros da rede social participam de uma série de desafios, principalmente realizando coreografias com músicas ao fundo.

O formato dinâmico do TikTok impactou diretamente amaneira que os usuários interagem com a música. A plataforma, aliada ao grande aumento de qualidade das câmeras frontais nos smartphones, potencializou as formas com que as pessoas se expressam ao ouvir uma canção ou assistir a um clipe. São diversas coreografias e reações corporais capturadas pela lente frontal dos dispositivos, e compartilhadas na rede social, que evidenciam a conexão entre os artistas e o público.

Essa interação despertou o interesse de produtores e artistas, que passaram a idealizar singles com trechos curtos impactantes, com batidas marcantes, focados na inserção nos vídeos e criação de desafios na plataforma. Pois, além da propagação entre os membros na rede social, o sucesso dos trechos musicais reproduzidos nos vídeos catalisa diretamente o aumento na procura em outras plataformas, como Spotify.

Ao observarmos este contexto, é evidenciado um movimento cíclico. O smartphone impacta a produção de conteúdo para o TikTok. A rede social, por sua vez, influencia diretamente a indústria fonográfica e o consumo de música gera novas demandas de recursos em dispositivos móveis.

Diante deste cenário, o smartphone exerce papel cada vezmais relevante. Fundamental para a expansão do uso das redes sociais por meio da tecnologia 3G e do surgimento de plataformas de streaming, com a implementação da rede 4G, o smartphone tem sido potencializado como um centro de recursos e serviços, reunindo soluções para a produção de conteúdo, sistemas de áudio cada vez mais avançados e fácil integração com plataformas de streaming. Com o 5G, há um avanço significativo na experiência de consumir conteúdos em streaming, a partir de uma conexão mais estável e imagens e som em alta qualidade.

Este movimento no TikTok também ocasionou um redirecionamento das em presas. O mercado, em seus mais variados setores, tem elaborado estratégias de marketing em conjunto com influenciadores especificamente para a rede social, associando sua marca e produtos a personagens renomados da indústria fonográfica e elaborando desafios de danças, dublagens ou indicação de filmes e séries para gerar engajamento, por exemplo.

Ao mesmo tempo em que es te cenário de uso das redes sociais é desafiador para as empresas, é também excelente oportunidade para se conectar de maneira direta aos consumidores, a partir de um ambiente que potencializa a criatividade e possibilita a comunicação assertiva com o público-alvo.

*Crédito da foto no topo: Pexels

Publicidade

Compartilhe