Preparando a casa para o 5G

Buscar
background - digital e omnichannel

Opinião

Publicidade

Preparando a casa para o 5G

Por mais contraditório que possa parecer, a quinta geração da internet móvel é oportunidade para humanizar ainda mais a relação entre público e empresas


24 de novembro de 2021 - 13h29

A chegada do 5G vai mudar as relações entre marcas e pessoas. Isso é um fato. Outro fato: nós, como parceiros de negócios dos clientes, devemos estar atentos e preparados para extrair o melhor que a nova conexão pode oferecer. Mas como em toda mudança tecnológica, vai ser um caminho de descobertas.

Diferentes dispositivos conectados, menor latência, menos impacto no meio ambiente, infinitas possibilidades de experiências imersivas, um novo horizonte para a realidade aumentada e a inteligência artificial, sem falar nos ganhos em setores tão importantes como a telemedicina e a educação. Um vasto território a ser explorado por quem vive para desbravar esse universo tão complexo e apaixonante que é a fronteira onde pessoas, tecnologia e marcas se encontram.

Uma coisa já sabemos: o 5G vai ampliar as formas de impactar a audiência, e, por mais contraditório que possa parecer, significa uma excelente oportunidade para humanizar ainda mais a relação entre o público e as empresas. Isso porque, ao encurtar distâncias, somos capazes de impactar com personalização e entregar experiências ainda mais relevantes para quem verdadeiramente importa: as pessoas.

A chegada do 5G (Crédito: Marko Aliaksandr/Shutterstock)

Conectados com as realidades

Mesmo com todo o avanço tecnológico, precisamos ter os pés no chão e conhecer profundamente as diferentes realidades do País, para impactar o público de forma realista e o mais personalizada possível. É importante lembrar que, segundo dados da Anatel, 20 milhões de brasileiros ainda utilizam conexão 3G, mesmo com o 4G em funcionamento desde 2013. Existe uma estrada que o Brasil precisa percorrer rumo à universalização digital, e as operadoras estão empenhadas nessa missão (ainda bem!), mas, enquanto isso não acontece, é fundamental entender as diferentes realidades desse grande público.

Ainda bem que, para isso, temos uma infinidade de dados a serem processados, analisados, compreendidos e aplicados às nossas estratégias. Essa é uma boa notícia para quem tem uma área de data intelligence forte e atuante, com especialistas preparados para os desafios que prometem surgir com a nova era de conectividade que está por vir.

Dados, de novo eles

Há um bom tempo a gente vem falando sobre a importância dos profissionais de dados e customer experience. Quem ainda não os trouxe para perto, com o 5G dobrando a esquina, precisa correr para entender essas disciplinas. Ter especialistas capazes de processar a avalanche de informações e transformá-las em análises tangíveis para as equipes criativas nunca foi tão necessário, e promete ser ainda mais nos próximos tempos. O mesmo vale para quem se encarrega em conhecer e otimizar a experiência do público com as marcas.

Ainda que o prazo estipulado pela Anatel para completar a implantação do 5G no Brasil seja só para 2029, o futuro já está acontecendo e
precisamos estar preparados para ele. Já temos casos a serem estudados, em países como Alemanha, Japão e Estados Unidos, mas, de novo, é importante adaptar tudo a nossa realidade, e ter um olhar analítico para os dados de consumo atuais dos brasileiros, para entender onde estamos e para onde podemos ir com o 5G.

Novas portas: pode entrar, 5G!

Trazendo para o nosso dia a dia, um bom caminho pode ser ter um squad dedicado a estudar as possibilidades da nova geração de conectividade. Cientistas de dados trabalhando ao lado de criativos, para ampliar o campo de visão e enxergar novas soluções. Isso já está acontecendo por aqui há um tempo e muitas empresas de comunicação também já entenderam essa necessidade, por sorte.

Se a sua empresa ainda não compreendeu essa realidade, é uma boa hora para fazê-lo. Com mais gente conectada, de modo mais rápido, gerando mais dados em diferentes dispositivos, novas portas surgem para expandir (e melhorar) a relação entre marcas e pessoas. Quem estiver se preparando para esse momento, não terá medo de abri-las para ver o que vem a seguir. Nos vemos lá!

Publicidade

Compartilhe