Publicidade

Women to Watch

Livros, séries e filmes para refletir e se inspirar

Confira as dicas culturais das nossas entrevistadas desde o início do projeto


3 de agosto de 2022 - 15h08

A missão do Women to Watch é celebrar e empoderar mulheres no mercado de trabalho. Entrevistamos, conversamos e damos espaço para que as mulheres falem, sejam escutadas e promovam trocas. Nossa editoria “Inspiração” traz perfis de diferentes profissionais em ascensão. São líderes, empresárias, jornalistas, influenciadoras, advogadas e consultoras das mais diferentes áreas: esportes, games, tecnologia, criação, moda, tendências futuras e digital. Nomes como Gabriela Moura, Natália Fernandes, Renata Mendonça, Mandy Candy, Thais Farage, Manu Barem, Alexandra Gurgel, entre outras.

Em nossas matérias, abordamos assuntos que permeiam o universo feminino e de carreira, como liderança, gestão, representatividade, empreendedorismo, assédio, autossabotagem e, claro, as inspirações. Sempre perguntamos quem são as mulheres que as incentivaram a seguir trilhando seus caminhos, apesar dos percalços. 

Nessa mesma linha, pedimos para as entrevistadas recomendações culturais de livros, filmes e séries que as fazem refletir sobre a condição e o papel das mulheres. As respostas você confere nesta lista.

 

LIVROS

Para educar crianças feministas e Pequeno manual antirracista, de Chimamanda Ngozi Adichie

Recomendação da Renata Mendonça

A Chimamanda é uma grande referência para a jornalista esportiva Renata Mendonça. Em entrevista ao Women to Watch, ela disse que a escritora nigeriana a ajudou a reconhecer e aprender sobre a luta das mulheres na sociedade. Além de trazer muito conteúdo sobre o feminismo, Renata descreve que a linguagem da autora é sempre muito didática e a leitura de seus livros a fizeram repensar seu próprio discurso. A jornalista recomenda principalmente os livros “Para educar crianças feministas” e “Pequeno manual antirracista”. 

 

Sejamos todos feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie

Recomendação da Vanessa Mathias

A escritora Chimamanda é um nome recorrente entre nossas entrevistadas da editoria Inspiração. A fundadora da White Rabbit e consultora de tendências futuras, Vanessa Mathias, indicou outro livro da mesma autora: “Sejamos todos feministas”. Grávida de um menino, Vanessa refletiu sobre a importância de se criar crianças sob novas perspectivas, e que este livro foi essencial para esta missão.

 

Pachinko, de Min Jin Lee

Recomendação da Kelly Kim

Kelly Kim é fundadora da marca de roupas estampadas Calma São Paulo e indicou um livro que a ajudou a se reconectar com a luta de suas antepassadas coreanas. “Pachinko” conta a história de Sunja, uma menina coreana que viveu entre os anos 1930 e 1990, passando pela guerra e a imigração para o Japão. 

 

O ano em que disse sim, de Shonda Rhimes

Recomendação da Cris Guterres

Definitivamente, Shonda Rhimes é uma grande inspiração para qualquer mulher, assim como é para a jornalista Cris Guterres. Sua recomendação é o livro “O ano em que disse sim” da produtora de TV americana, que segundo Cris “é um banho de inspiração para quem está sofrendo com a bunda no sofá sem coragem de agir e correr atrás de si mesma”.

 

SÉRIES

Arcane (Netflix)

Recomendação da Cynthya Rodrigues

A gamer e sócia da G4B, Cynthya Rodrigues, recomenda a série da Netflix “Arcane”, que foi inspirada no universo do jogo League of Legends. Se engana quem pensa que a série é voltada ao público masculino, afinal, LOL tem uma variedade de personagens femininas. Segundo Cynthya, “o enredo principal gira em torno das histórias de personagens femininas muito fortes. Mesmo quem não conhece a história do jogo consegue entender bem a série e se apaixonar pela narrativa”. Fica a dica.

 

Ted Lasso (Apple TV)

Recomendação da Mayra Cotta

Mayra Cotta é advogada especializada em gênero e sua indicação de série é “Ted Lasso”, uma comédia que conta a história de um treinador de um time de futebol americano de faculdade da cidade de Kansas. Mayra conta que o seriado traz personagens masculinos diferentes, “não-hegemônicos”, que traçam diálogos de desconstrução da masculinidade.

 

Pose (Star+)

Recomendação da Amanda Guimarães

É um dos seriados favoritos da influenciadora Amanda Guimarães, mais conhecida como Mandy Candy. A série conta a história de mulheres trans durante os anos 1980 e a ascensão dos bailes LGBTQIAP+. “Gostaria que todo mundo assistisse ‘Pose’, para ver um pouco do que as mulheres trans passavam e ainda passam hoje em dia. Faz a gente refletir sobre tantas coisas, sobretudo sobre a vivência de mulheres trans”.

 

Insecure (HBO Max)

Recomendação da Iza Dezon

Outra sugestão de série das nossas entrevistadas é “Insecure”, vinda da consultora de estratégia Iza Dezon. Ela conta que o seriado “aborda todas as inseguranças femininas por meio de um rap no banheiro” e também “fala do feminino e da dicotomia do que precisamos, queremos e podemos ser”.

 

Sociedade do cansaço (Globoplay)

Recomendação da Cris Guterres

Cris Guterres traz outra indicação, desta vez de uma série-documental chamada “Sociedade do Cansaço”. “São dez episódios inspirados no livro homônimo do sul-coreano Byung-Chul Han. É uma ótima oportunidade para questionarmos o nosso papel enquanto líderes numa sociedade que valoriza a uberização do ser humano e o esvazia até ele não servir mais, a produtividade o tempo todo e a qualquer custo, e outros temas relevantes para todos nós”, reflete.

 

Fleabag e Marvelous Mrs Maisel (Amazon Prime Video)

Recomendação da Manu Barem

A indicação dupla vem da jornalista Manu Barem, que recomenda as séries Fleabag e Marvelous Mrs Maisel. A primeira é uma comédia dramática escrita por Phoebe Waller-Bridge que também interpreta a personagem principal. Já a segunda é outra comédia de época que conta a história de Miriam Midge Maisel, uma dona de casa cujo talento a leva a ser comediante de stand-up. “Acho que ali tem muitas camadas do que é ser mulher e eu amei vê-las na televisão”, conta Manu.

 

FILMES

King Richard, de Reinaldo Marcus Green (disponível na HBO Max)

Recomendação da Renata Mendonça

A jornalista esportiva traz outra indicação do mundo dos esportes, desta vez o filme biográfico “King Richard – Criando Campeãs”. O longa retrata a criação de Serena Williams e Venus Williams, duas lendas do tênis, por seu pai e treinador Richard Williams. Renata conta o que achou: “É um filme muito bom, porque vemos que desde muito cedo ele falava sobre o que elas teriam de enfrentar por serem mulheres negras num esporte considerado muito elitista”.

 

As espiãs de Churchill, Lydia Dean Pilcher (disponível na Netflix)

Recomendação da Kelly Kim

Kelly Kim traz outra indicação interessante: o filme “As espiãs de Churchill”, disponível na Netflix. Kim conta que o longa, “dirigido por Lydia Dean Pilcher, é uma história emocionante de mulheres que trabalham no serviço secreto inglês, enfrentando preconceito em um ambiente totalmente masculino. É um exemplo de lealdade e superação”.  

 

Como ela faz (TV Cultura)

Recomendação da Cris Guterres

“Como ela faz” é um documentário da TV Cultura que traz diferentes lideranças femininas como Adriana Barbosa, Djamila Ribeiro, Rosane Borges, Maite Schneider, Nina Silva e Preta Rara e mostra suas rotinas de trabalho e como elas estão “movendo o mundo pelas margens”, como descreve Cris Guterres.

 

Sweat, de Magnus von Horn (disponível no MUBI)

Recomendação da Gabriela Moura

O filme mostra a vida de uma influenciadora fitness com centenas de milhares de seguidores nas redes sociais, contratos publicitários e fotos em revista, mas a pressão que ela sofre para agradar sua audiência a faz confrontar suas inseguranças. “O filme mostra o que acontece quando ela tenta a todo custo suprir essas expectativas”, comenta Gabriela Moura.

 

Nojoom, de Khadija al-Salami 

Recomendação da Gabriela Moura

A segunda recomendação de Gabriela traz a história baseada em fatos reais de uma menina obrigada a casar ainda criança, toda a violência física e psicológica que isso significou e a batalha que enfrentou para obter o divórcio. “A diretora desse filme é a primeira mulher cineasta de seu país (Iêmen). A obra é essencial pra refletirmos sobre a condição da mulher no mundo e os direitos das meninas”, conta Gabriela.

 

PODCAST

Mamilos

Recomendação da Thais Farage

Por fim, a sugestão de Thais Farage é o podcast Mamilos, apresentado por Juliana Wallauer e Cris Bartis, e produzido pela B9. Se você já conhece o podcast, Thais recomenda a série de episódios chamada “empreendedorismo sem maquiagem”, publicada em março de 2022.

Publicidade

Compartilhe