Das comunidades aos negócios: a potência que vem das ruas

Buscar

Das comunidades aos negócios: a potência que vem das ruas

Buscar
Publicidade

Marketing

Das comunidades aos negócios: a potência que vem das ruas

Poder econômico e cultural das favelas é alto mas esbarra na falta de inclusão e de iniciativas específicas para esses grupos populacionais


7 de julho de 2023 - 19h18

Potência ruas

Thamirys Marques modera o debate entre Nathaly Dias (a Blô); Fernanda Ribeiro e Tiago Trindade (Crédito: Arthur Nobre)

Fazer com que as comunidades se tornem forças emancipadoras. Esse foi um dos temas que permeou alguns dos painéis desta sexta-feira, 7, na primeira edição da VidCon São Paulo.

Em um deles, a conselheira, empresária e CEO da produtora Boogie Naipe, Eliane Dias ressaltou que é preciso converter espontaneidades e criatividade em modelos de negócio, como foi no caso da criação do podcast do Mano Brown, “Mano a Mano”. “Como creators, nós determinamos nossas metas, o quanto queremos ganhar e o quanto queremos investir de nosso tempo”, comentou.

No mesmo palco estavam as “Avós da Razão”, Gilda de Mello e Sônia Bonetti. As criadoras de conteúdo falaram sobre importância da terceira idade manter-se conectada com as redes sociais e, por consequência, em debates geracionais. Gilda comenta sobre a dificuldade de público sênior em adentrar no mundo de influenciadores: “Muitos falam que não sabem mexer no celular, como não sabem? Nós passamos a vida inteira aprendendo”, ressaltou.

Já o produtor e roteirista da próxima temporada de Criança Esperança, M.M. Izodoro, fez coro ao debate sobre as potencialidades ao ressaltar que, graças as tecnologias, a democratização da produção fizeram com que pessoas dos recôncavos mais distantes pudessem estar em paridade com a influência hollywoodiana.

Favelas, centros econômicos da efervescência

Em outro painel, o potencial econômico das favelas foi o destaque da conversa. Thamirys Marques, gerente de estratégia de conteúdo na Digital Favela, trouxe dados que apontam as favelas como lugares em que o empreendedorismo se manifesta pela necessidade.

Apesar disso, empreendedores negros são os mais que mais recebem “não” quando tentam empréstimos. Para CEO da Banco Conta Black, Fernanda Ribeiro, é impossível desatrelar os debates de favorecimento da branquitude e racismo das disputas de classes num país de maioria populacional negra.”

Com experiência no mercado de agências, o CCO da Digital Favela, Tiago Trindade disse ser contra o conceito de romantização das favelas. Segundo ele, é preciso focar na positividade da comunidade sem esquecer dos desafios impostos. Para criar um legado, disse, é necessário que as marcas sejam autênticas e pensem ao longo prazo no impacto que as iniciativas podem ter na vida das pessoas.

Como foi, por exemplo, o caso da Nathaly Dias, mais conhecida como Blô – Blogueira de Baixa Renda, que chegou a fechar um ano com faturamento de R$1 milhão e está a caminho de conquistar o sonho da casa própria. “A gente que é pobre sonha baixo”, disse ela, em resposta a provocação de Thamyres, sobre dados que apontam a casa própria como principal objetivo das pessoas em favelas. Em consonância com isso, Fernanda destacou que “o sonho da favela é diferente do sonho da Faria Lima”, na medida, que os contextos e expectativa são diferentes.

Veja a cobertura do Meio & Mensagem na VidCon São Paulo 2023:

– Entrando no game: como marcas incluem os streamers na criação?

– Do mainstream ao digital: Globo usa conteúdo para tentar ampliar conexões

– O segredo de sucesso dos podcasts – e das boas histórias

– A música na era conectada: redes sociais transformam artistas em hits

– CEOs do futuro: a relação dos creators com os negócios

– O futuro da televisão na era dos creators digitais

– Entretenimento e diversidade a favor dos negócios das marcas

– Influenciadores demandam liberdade na co-criação com marcas

– Como o Porta dos Fundos transforma entretenimento em negócios

– Boca Rosa cria portal de notícias e programas de impacto social

– Pensamentos e propósitos dos novos consumidores

– VidCon estreia debatendo o papel dos influenciadores para as marcas

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Dove aposta em especialista em IA para incentivar beleza sem padrões

    Dove aposta em especialista em IA para incentivar beleza sem padrões

    Como embaixadora de Dove pela Real Beleza, Heloisy Pereira Rodrigues, formada em IA, trabalhará junto a marca em iniciativas da IA a favor da beleza sem padrões

  • Nivea usa gamificação para falar de cuidados com a pele

    Nivea usa gamificação para falar de cuidados com a pele

    Iniciativa acontecerá presencialmente em São Paulo, Campinas e Curitiba para democratizar conhecimento sobre a pele