Marketing digital: o que é, vantagens para empresas e principais estratégias

Buscar
Publicidade

Notícias

Marketing digital: o que é, vantagens para empresas e principais estratégias

Conhecer o público e entender as estratégias a fundo são passos importantes para saber como trabalhar com marketing digital de maneira eficiente

Preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem:


19 de julho de 2023 - 17h00

O que é e como funciona o marketing digital?

Imagem: Shutterstock/mrmohock

A internet trouxe o aumento da conectividade e permitiu o acesso a diferentes atividades por dispositivos móveis, incluindo a compra de produtos e serviços. Nesse cenário, o marketing digital tornou-se uma ferramenta essencial para as empresas.

Segundo a Comscore, 131,5 milhões de brasileiros estão conectados. Entre os países da América Latina, o Brasil é o maior consumidor de rede social, com 46 horas de acessos mensais por usuário, com média diária de 3h36 por usuário. 

Ao adotar uma estratégia digital, as marcas podem observar benefícios como a redução de custos com divulgação e aquisição de clientes, fortalecimento da conexão com o consumidor e aumento da autoridade de mercado.

Para isso, existem diferentes ações de marketing que podem ser aplicadas nas plataformas virtuais, desde o marketing de conteúdo até a otimização de conversão. 

Conhecer o público e entender as estratégias a fundo são passos importantes para saber como trabalhar com marketing digital de maneira eficiente. 

Acompanhe as principais tendências e notícias do marketing em Meio & Mensagem

Leia também:

O que é marketing digital?

O que é marketing digital?

Imagem: Shutterstock/Rawpixel.com

O marketing digital reúne estratégias para divulgação, atração e relacionamento com consumidores aplicadas nos canais de comunicação online, como sites, e-mails e redes sociais

O conceito é amplo, permite explorar diferentes métodos e pode ser adaptado conforme os objetivos e o público da empresa.

Pela flexibilidade, pelos benefícios e pela presença do público nas plataformas virtuais, as marcas têm adotado cada vez mais essa metodologia. 

Considerando a América Latina, o estudo da MIT Technology Review em parceria com a NTT DATA mostrou que 60% dos investimentos das companhias é direcionado para ações de marketing digital. 

No Brasil, segundo o Panorama de Geração de Leads, mais de 80% das empresas investem em mídia paga. 

Em entrevista para Meio & Mensagem, Camila Costa, CEO da ID, falou sobre as tendências da estratégia e os erros mais cometidos por agências e anunciantes. Confira as dicas no vídeo abaixo:

Por que apostar no marketing digital para empresas?

No cenário atual, em que grande parte dos consumidores está na internet, a presença digital se tornou fundamental para as empresas.

De acordo com estatísticas da Oberlo, o número de compradores digitais está em 2,64 bilhões, o que representa 33% da população mundial. É um crescimento de 80 milhões de usuários em relação a 2022.

Segundo o relatório, a expectativa é que o índice chegue a 2,77 bilhões em 2025. 

Contudo, não basta apenas estar presente no meio digital para alcançar esse público, é necessário exercer uma posição estratégica para obter resultados no ambiente online.

Assim, o que o marketing digital faz nesse cenário é ajudar as marcas a divulgar seus produtos e criar uma conexão com o público. 

Na prática, o conceito pode trazer diversos benefícios para as empresas, como os destacados a seguir.

Conexão com o público

Desenvolvimento de conteúdos relevantes, interação com o público nas redes sociais e fornecimento de informações sobre o produto ou serviço são algumas ferramentas do marketing no ambiente digital. 

Essas estratégias permitem um contato mais horizontal com o público, com comunicações mais diretas e personalizadas, que podem ser realizadas em momentos mais precisos – definidos com base na análise de dados.

A partir disso, a empresa pode promover a proximidade, o que contribui para o fortalecimento da conexão entre marca e consumidor.

Como consequência desse relacionamento mais próximo, pode-se observar um aumento de confiança na empresa. 

Maior fidelização de clientes

As ações de marketing no ambiente digital também contribuem para a otimização da jornada de compra e reflete na experiência do cliente durante esse processo.

Essa melhoria no customer experience, alinhada ao fortalecimento dos sentimentos de confiança e conexão com a marca, podem promover um aumento na fidelização de consumidores. 

Além de atrair clientes com maior precisão a partir da segmentação de anúncios online, a empresa também pode manter o contato com o cliente ao longo da jornada de compra. 

É possível, por exemplo, nutrir o relacionamento com conteúdos de blog, explicar sobre o uso do produto com vídeos nas redes sociais e enviar por e-mail ofertas personalizadas de itens complementares à compra do consumidor. 

Custos reduzidos

Em geral, as plataformas de divulgação online tendem a apresentar custos mais baixos do que os canais tradicionais, como televisão e rádio, por exemplo. 

Criar uma conta nas redes sociais é um processo gratuito e os anúncios podem ser pagos por cliques, visualizações ou outro tipo de interação do usuário com o material.

Na prática, isso permite um investimento mais personalizado de acordo com as necessidades e possibilidades de cada marca, além de diminuir os custos com aquisição de clientes.

Outro ponto que pode impactar na redução de gastos é a segmentação dos anúncios, que permitem um direcionamento mais assertivo para usuários mais propensos a consumir determinado produto ou serviço.

Monitoramento de dados

Vantagens do marketing digital

Imagem: Pexels/Mikael Blomkvist

O marketing digital possibilita a análise de dados e resultados em tempo real, com o acompanhamento mais próximo da jornada de compra por meio de ferramentas como o Google Analytics

Dessa forma, a marca pode estar presente em todos os momentos da decisão de compra, desde a primeira pesquisa por produtos ou serviços até o processo de pós-venda, em diferentes canais – do Instagram aos buscadores, por exemplo.

Com o monitoramento de dados e a aplicação do conceito de data driven, ou seja, o uso de dados para a tomada de decisões, as empresas conseguem uma visão mais clara sobre o desempenho da marca e o comportamento do consumidor.

A análise pode ajudar a compreender as preferências, o perfil e as necessidades do público, bem como avaliar os resultados das campanhas para direcionar as estratégias de maneira mais assertiva.

A partir disso, as empresas podem oferecer informações, ofertas e soluções personalizadas de acordo com as características identificadas. 

Aumento de competitividade e autoridade

Ao melhorar a experiência do consumidor, aumentar a conversão e fortalecer a imagem da marca no mercado, a tendência é que a empresa conquiste mais autoridade e, com isso, vantagem competitiva.

Com os conteúdos de blog ou publicações nas redes sociais, por exemplo, a organização pode esclarecer dúvidas, explicar assuntos relevantes dentro de sua área de atuação e mostrar as aplicações do produto ou serviço na prática.

Esse tipo de material contribui para posicionar a marca como autoridade no assunto, aumentando a credibilidade e tornando-a referência no mercado. Isso pode trazer outros benefícios, como:

  • aumento na atração de clientes;
  • construção do posicionamento de marca;
  • ampliação das vendas e do número de conversões;
  • maior compartilhamento, engajamento e alcance dos conteúdos.

Quais são as principais estratégias do marketing digital?

Para entender como funciona o marketing digital, é importante saber que o método engloba diversas técnicas aplicáveis nos diferentes canais de comunicação online. 

Com as mudanças constantes no mercado e nos hábitos de consumo aliadas à inovação tecnológica, novas aplicações surgem para complementar a lista, como o marketing de influência e as assistentes virtuais de marcas, por exemplo.

Usar os influenciadores é uma forma de ampliar o alcance da marca e torná-la referência no mercado. 

Já as assistentes virtuais são uma forma de utilizar a tecnologia para melhorar a conexão com o público, criando uma proximidade maior entre empresa e consumidor.

Na prática, as marcas podem adaptar o planejamento de marketing no ambiente digital conforme suas necessidades, focando em uma estratégia ou conciliando mais de uma ação em diferentes canais.

Conheça as principais técnicas do conceito a seguir.

Marketing de Conteúdo

O marketing de conteúdo é uma técnica focada no desenvolvimento de conteúdo otimizado e relevante para o público. O objetivo principal não é promover a marca de forma direta, mas sim compartilhar materiais úteis aos usuários.

Dentro dessa estratégia, uma empresa de roupas femininas pode produzir conteúdos sobre tendências ou dicas de moda, por exemplo. 

Estratégias do marketing digital

Imagem: Pexels/cottonbro studio

Para isso, o marketing de conteúdo pode ser utilizado em diferentes canais, como posts em blog, ebooks ou publicações em redes sociais – em formato de texto, vídeo ou imagem.  

Os materiais produzidos podem servir para atrair consumidores, nutrir o funil de vendas ou educar o mercado sobre o segmento da empresa e seus produtos.

O marketing de conteúdo é uma das principais metodologias adotadas pelas empresas no digital. Segundo a Demand Metric, 90% das organizações usam o conteúdo em suas ações de marketing.

Inbound Marketing

Inbound marketing é uma estratégia desenvolvida com o objetivo de atrair os consumidores até a marca por meio da produção e distribuição de conteúdo na internet, ou seja, do marketing de conteúdo. 

A ideia é que o usuário encontre a empresa e não que a marca vá atrás do consumidor. A partir disso, é possível estabelecer um canal de comunicação com o público e construir um relacionamento sólido de confiança.

Para isso, a marca entende as necessidades, preferências e hábitos de consumo dos clientes, e desenvolve conteúdos com base nisso para atrair o usuário.

É o contrário do que acontece no outbound marketing, que tem uma abordagem mais agressiva e direta, focada na venda do produto e não, necessariamente, na construção de uma conexão com o consumidor. 

No inbound, a venda é uma consequência do processo. O consumidor conhece a marca, cria um relacionamento de confiança com ela e torna-se um cliente fiel. 

De maneira geral, a diferença de resultados é que o inbound marketing pode ampliar os índices de fidelização, uma vez que os clientes tendem a sentir uma conexão maior com a marca.

Blogs

O blog é um dos principais canais para se trabalhar o marketing de conteúdo, além de permitir a otimização desses materiais por meio do SEO para melhorar o posicionamento nos mecanismos de busca e, com isso, conquistar mais tráfego orgânico.

Uma pesquisa realizada pela Backlinko mostrou que o primeiro resultado orgânico dos mecanismos de busca tem 10 vezes mais chances de receber um clique do que uma página na 10ª posição.

Além disso, a pesquisa da Demand Metric, apresentada anteriormente, também revelou que 80% das pessoas entrevistadas gostam de aprender sobre a marca por meio de conteúdos personalizados.

O estudo mostrou outros dados relevantes sobre o impacto positivo do marketing de conteúdo, como:

  • 82% dos consumidores sentem-se mais positivos sobre a marca após ler um conteúdo personalizado;
  • 70% sentem-se mais próximos da empresa;
  • 90% acham os conteúdos úteis.

Redes Sociais

Com as mudanças nos hábitos de consumo, as redes sociais ganharam destaque não apenas como plataformas de comunicação, mas também como canal de divulgação, vendas e busca por marcas e produtos.

A geração Z, por exemplo, está trocando os buscadores pelas redes sociais para fins de pesquisa. Isso foi o que revelou um estudo da Capterra, divulgado em Meio & Mensagem.

Segundo os dados, os usuários dessa geração foram o principal grupo a deixar os buscadores para realizar pesquisas através das redes sociais, representando 37% dos consumidores com essa preferência.

Não à toa, as mídias sociais foram os canais priorizados pelos profissionais de marketing em 2022. 

De acordo com a pesquisa State of Inbound Marketing Trends, da Hubspot, 44% das marcas classificaram as redes sociais como o canal mais utilizado. O Instagram aparece como a principal plataforma, usada por 67% dos entrevistados.

Otimização de Conversão

Principais estratégias do marketing digital

Imagem: Pexels/Pixabay

Conhecida como CRO, a Conversion Rate Optimization ou Otimização de Conversão, tem o objetivo de ampliar a taxa de conversão das páginas a partir dos usuários que já consomem a marca.

O CRO pode ser aplicado de diferentes formas, como no desenvolvimento de call to actions mais atrativos. 

Ao invés de usar um “fale conosco”, a empresa pode criar um botão com a frase “teste grátis” para oferecer um período de experimentação gratuita de um determinado serviço, por exemplo. 

Neste processo de otimização, é necessário testar as possibilidades e conhecer os clientes para entender o que pode ampliar a conversão. Além disso, é importante mensurar os resultados para definir o que está funcionando e o que precisa ser ajustado.

Automação de marketing

Os avanços tecnológicos trouxeram diversas ferramentas para auxiliar as empresas na estruturação de suas estratégias de marketing e, entre elas, estão as soluções de automação de marketing.

Desenvolvidas com o objetivo de automatizar tarefas, mensurar resultados e fornecer insights relevantes para o relacionamento com o público, 

Alguns exemplos de ferramentas para automação de marketing são:

  • automação de e-mail marketing;
  • softwares de gestão de redes sociais e campanhas digitais;
  • CMS (Content Management System ou Sistema de Gestão de Conteúdos, na tradução);
  • CRM (Customer Relationship Management ou Gestão de Relacionamento com o Cliente, na tradução).

Essas soluções podem trazer inúmeros benefícios, como a personalização de campanhas, o aumento da produtividade e a otimização do gerenciamento do funil de vendas.

Com elas, também é possível promover a integração entre diferentes setores, como marketing e vendas, que podem melhorar a experiência do consumidor quando alinham estratégias e fluxo de tarefas. 

O que é marketing de mídia social?

O marketing de mídia social refere-se ao uso estratégico de plataformas de mídia social para promover produtos, serviços ou marcas, assim como interagir com o público-alvo.

Nesse contexto, as empresas podem aplicar diferentes ações e compartilhar conteúdos com o objetivo de aumentar o reconhecimento da marca, gerar leads e promover a fidelidade do cliente, por exemplo.

De acordo com o relatório “Digital 2023: Brazil”, produzido pela We Are Social e Meltwater, o número de brasileiros nas redes sociais ultrapassou a marca de 152 milhões em janeiro de 2023, o equivalente a 70,6% da população.

Esses índices indicam o potencial das plataformas digitais para o fortalecimento das empresas no mercado e do relacionamento com os consumidores. 

No espaço das redes sociais, outras estratégias do marketing digital ganharam destaque. Além do marketing de conteúdo, uma das principais aplicações nesses canais, as empresas também podem trabalhar com outras técnicas, como:

Além disso, algumas ferramentas tecnológicas, como a inteligência artificial e o metaverso, podem contribuir para aprimorar a experiência de compra do consumidor nesses canais. 

Quais são as melhores redes para o marketing?

Qual a importância do marketing digital nas redes sociais?

Imagem: Pexels/Tracy Le Blanc

O relatório da We Are Social em parceria com a Meltwater também apresentou um ranking com as redes sociais mais utilizadas pelos brasileiros. 

As cinco principais, segundo essa classificação, são:

  • WhatsApp, com 93,4% do uso;
  • Instagram, com 89,8%;
  • Facebook, com 86,8%;
  • TikTok, com 65,9%;
  • FB Messenger, com 65,1%.

Além delas, existem redes sociais alternativas que surgem com uma frequência cada vez maior no mercado e podem complementar a estratégia digital das marcas. 

O Pinterest, por exemplo, é uma rede que se destacou nos últimos anos e hoje está entre as 10 plataformas mais utilizadas, segundo o ranking divulgado pelo relatório “Digital 2023: Brazil”, com 46,4% de uso.

Outra rede mais recente do mercado que tem conquistado cada vez mais usuários é o TikTok. Lançado no Brasil em 2018, esse foi o app mais baixado em 2020, segundo ranking do Apptopia.

Com o crescimento no número dos usuários, a rede tornou-se uma oportunidade de divulgação e interação com o público para as marcas.

É importante que as empresas se atentem às novidades para conhecer as tendências e avaliar a presença do público-alvo em novas plataformas de comunicação, pois elas podem representar um canal com alto potencial de alcance e conexão com os consumidores.

Para escolher os canais mais adequados para a estratégia de marca, cada empresa deve considerar fatores individuais, como a jornada de compra do consumidor nessas redes, onde o público-alvo está presente e como a concorrência se comporta.

Como fazer marketing nas redes sociais?

As redes sociais se estabeleceram como canal de comunicação e divulgação para as marcas, mas elas também podem contribuir para a geração de tráfego no site, por exemplo.

Por isso, um dos primeiros passos das marcas ao aplicar o marketing nas mídias é definir seus objetivos com a estratégia. A partir disso, será possível determinar o tipo de conteúdo compartilhado.

Outros passos importantes para uma estratégia de marketing nas redes sociais são:

  • escolher as redes sociais mais adequadas para a marca;
  • manter a identidade visual da empresa nos conteúdos publicados;
  • divulgar materiais relevantes e personalizados para o público-alvo;
  • promover a interação do usuário com a marca, estimulando o engajamento;
  • acompanhar métricas de desempenho para avaliar os resultados e necessidades de ajustes na estratégia. 

Ao trabalhar essas ações de maneira complementar, integrando os diferentes canais – tanto no online como no offline – a empresa pode desenvolver uma estratégia omnichannel mais eficiente.

Como fazer um plano de Marketing Digital?

Um plano de marketing digital fornece um roteiro estratégico para atingir as metas de marketing no mundo online, garantindo que os esforços aplicados nesse canal estejam alinhados aos objetivos da empresa.

Apesar de ser uma técnica de marketing importante para as marcas, ela envolve diferentes ações, canais e análises, por isso o planejamento torna-se um apoio essencial. 

Ao delinear o público-alvo, as principais mensagens e os resultados desejados, é possível organizar a estratégia, evitando investimentos sem retorno e divulgação de materiais inadequados.

Esse plano pode ajudar as marcas a manter o foco e tomar decisões informadas sobre a alocação de recursos, a execução da campanha e a relação com os clientes no espaço digital.

Como fazer um plano de marketing digital?

Imagem: Unsplash/The Connected Narrative

Com ele, é possível priorizar canais para alcançar os usuários certos, assim como promover uma abordagem mais direcionada, com linguagem alinhada aos potenciais clientes.

Saiba os passos necessários para desenvolver um plano de marketing para o ambiente digital. 

Pesquisar por oportunidades e forças externas e internas

Analisar o cenário atual da empresa, da concorrência e do mercado é o primeiro passo para que a marca possa desenvolver um plano consistente.

Com essa avaliação, a organização pode entender seus pontos fortes e fracos, oportunidades de melhoria e possíveis ameaças externas.

De acordo com os dados identificados nessa análise, a empresa pode definir ações alinhadas às suas possibilidades, seus objetivos e suas necessidades.

Se a pesquisa revelou que o relacionamento com o consumidor pode ser aprimorado, a marca pode desenvolver estratégias que estimulem a interação, como lives, engajamento a partir de sorteios nas redes sociais ou atendimento personalizado no site, por exemplo. 

Estudar a jornada do cliente

A jornada de compra do cliente no ambiente digital descreve a trajetória que o usuário percorre desde o primeiro contato com a marca até o pós-venda. 

Conhecer esses pontos de contato e entender por onde o consumidor passa ajuda a empresa a identificar como o usuário se comporta em diferentes canais ou etapas do processo de compra.

A partir desse estudo, é possível definir pontos estratégicos, como as melhores plataformas de comunicação com o público, o momento mais adequado para determinada ação e a linguagem mais alinhada ao perfil do consumidor.

Isso contribui para que as marcas possam oferecer uma experiência personalizada, que tende a gerar maior satisfação do consumidor e ampliar a eficiência das ações de marketing.

Definir objetivos

No plano de marketing digital, devem ser estabelecidos os objetivos da marca, de forma clara e detalhada para que seja possível alcançá-los com eficiência.

Eles podem ser de curto, médio ou longo prazo e podem variar de um negócio para outro, mas é importante que estejam alinhados com as metas gerais da empresa.

Os objetivos de uma marca podem incluir, por exemplo:

  • aumentar o reconhecimento da marca;
  • melhorar o engajamento do cliente;
  • direcionar o tráfego do site;
  • gerar leads.

Para defini-los, a marca pode considerar as oportunidades e ameaças, bem como os pontos fortes e fracos identificados na análise inicial do negócio. Escolher objetivos mensuráveis e estabelecer prazos pode ajudar na execução dessas ações.

Além de determinar onde deseja chegar, a empresa também deve descrever os passos necessários para chegar até lá.

Definir o plano estratégico

Com as análises feitas e os objetivos definidos, a empresa pode criar um cronograma com o plano estratégico, que tem a função de organizar as ações e facilitar a execução. 

Esse plano pode trazer detalhes como o orçamento a ser aplicado em cada ação, os responsáveis pelas tarefas, prazos e metas, bem como as ferramentas a serem utilizadas.

Os KPIs de marketing, que vão ajudar a avaliar os resultados, também podem ser descritos nesse planejamento.

Reavaliar os resultados constantemente

Acompanhar os resultados das estratégias é uma maneira de avaliar se o planejamento estratégico está sendo executado e se está gerando os efeitos desejados.

Como fazer um plano de marketing digital?

Imagem: Pexels/fauxels

Com os KPIs, é possível entender se essas ações estão no caminho correto para alcançar os objetivos definidos pela empresa ou se precisam de ajustes.

Por isso, as marcas devem estabelecer uma periodicidade para avaliar as métricas escolhidas, além de ficarem atentas aos feedbacks do público sobre os conteúdos divulgados no ambiente digital.

Esse monitoramento pode gerar insights essenciais sobre o perfil do consumidor, o comportamento do mercado e as melhores estratégias de acordo com cada empresa. 

Resumo do tema

Com a presença crescente do público no ambiente digital e o aumento de competitividade nesses canais, as marcas precisam desenvolver ações cada vez mais estratégicas para obter os resultados desejados, atrair e fidelizar seu público.

Entender como funciona o marketing digital pode ajudar a alcançar esses objetivos. A técnica de marketing oferece ferramentas que permitem entender o comportamento dos usuários e direcionar os conteúdos de forma mais assertiva.

A metodologia conta com diferentes estratégias, que podem ser utilizadas de acordo com os objetivos da empresa e adaptadas para o perfil do público-alvo. 

É possível aplicar ações em diversos canais, como redes sociais, e-mail e site, por exemplo. A partir deles, a empresa pode trabalhar não apenas a divulgação, como também o relacionamento com os consumidores e a autoridade da marca no mercado.

Confira também: O que é Marketing 5.0 e tendências dessa nova era.

Acesse o ProXXIma Marketplace para saber quais são as melhores soluções de mídia programática para o seu negócio.

Publicidade

Compartilhe

Veja também

  • Tecnologia x solidão: quais são os limites da conexão?

    Tecnologia x solidão: quais são os limites da conexão?

    Enquanto a inteligência artificial avança em ritmo cada vez mais acelerado, pesquisadores alertam para a crescente da solidão na vida cotidiana

  • Golpes e fraudes impactam e-commerce no Brasil em R$ 8,5 milhões por empresa

    Golpes e fraudes impactam e-commerce no Brasil em R$ 8,5 milhões por empresa

    No ano passado, aumentou em 70% o número de vítimas de ataques cibernéticos ou vazamentos de dados, se comparado com 2022