Cannes Lions

17 a 21 de junho de 2024 | Cannes - França

Diário de Cannes

Em busca do protagonismo ativista

Não há sentido em criatividade sem relevância cultural, sem uma causa que nos tire o sono, sem mergulhar os pés na realidade e afogar estereótipos e preconceitos


9 de junho de 2017 - 11h43

É com grande entusiasmo que inauguro meu Diário de Cannes. Entusiasmo de débutante, com um olhar completamente fresco e curioso sobre a maior celebração da criatividade na comunicação em todo o mundo. É, sem dúvidas, uma contagem regressiva cheia de expectativas.

De representar nossa agência no Brasil, que inscreveu um case do qual muito nos orgulhamos e que, a grosso modo, possibilitou a realização dos Jogos Olímpicos de 2016, em uma estratégia de engajamento de voluntários que foi muito além do tradicional RP. Ansiosa para ver o “Meu Lugar no Rio”, nossa plataforma gratuita de hospedagem para voluntários, ganhar o “seu lugar no mundo”.

De representar nossa agência no mundo, ao lado de mentes criativas de todos os continentes e nomes que ajudam a liderar as revoluções em nossa indústria. Pessoas que admiro e em quem me inspiro diariamente. Com a sede e expectativa de fazer parte de mais um ano memorável, repetindo o marco de 2016 quando fomos a agência de RP mais premiada do mundo.

De representar, sobretudo, uma nova geração de executivos de comunicação e marketing que já não vê sentido em criatividade sem relevância cultural, sem uma causa que nos tire o sono, sem mergulhar os pés na realidade e afogar estereótipos e preconceitos. De modo que nosso trabalho faça mais do que rodar o mundo, em busca de prestígio e leões. Que ele ajude a repensar o mundo, em busca de diálogos mais equilibrados e conexões mais genuínas.

Uma geração de mulheres que busca mais do que seu espaço no board das agências e igualdade de gênero. Daquelas que perseguem, angustiante e efusivamente, o seu papel diário como creactivist: lançando mão de uma poderosa ferramenta criativa para militar por algo que seja por todos. E para todos. E todas.

Nesse sentido, não vejo um palco mais fértil para desempenhar todos esses papeis, em uma edição que traz discussões tão relevantes como o papel da mulher na produção audiovisual, nas narrativas das marcas, na busca de diversidade; a importância da colaboração para o extraordinário; visual influence por um dos olhares mais meticulosos do mundo; a eterna busca por tendências que movem comunidades, buscando criar grandes momentos culturais, mundialmente; o desafio de se fazer conteúdo original e engajar audiências cada vez mais dispersas e exigentes.

Que em meus breves relatos eu consiga dividir com os leitores do Meio & Mensagem todo esse excitante bastidor e inspirar novos creactivits em nossa indústria, que desponta em criatividade, mas ainda tem o estimulante desafio de buscar o protagonismo ativista.

À bientôt!

Publicidade

Compartilhe

Veja também